IPVA de carros importados: entenda como funciona

Você sabe como funciona o pagamento do IPVA de carros importados? Se não, está na hora de aprender. Afinal, atualmente está mais barato comprar um veículo no exterior do que adquirir um no Brasil.

Apenas para comparação, pense em um Toyota Corolla 2020. O veículo é vendido nos EUA por menos de $20 mil dólares, o que daria mais ou menos R$ 80 mil na cotação de R$ 4,00 por dólar.

No entanto, aqui no Brasil, o veículo sai por mais de R$ 90 mil na sua versão mais simples, com a mais completa passando dos R$ 100 mil. De fato, a diferença é sensível: são mais de R$ 20 mil nessa transação.

Por isso, fazendo as contas, pode ser mais fácil trazer o veículo de fora do que comprá-lo no Brasil. Mas quanto à questão do IPVA: como funciona quando se trata de um carro importado? Confira a seguir para descobrir!

Pode cobrar valor diferente no IPVA de carros importados?

O IPVA é um imposto que é pago calculado sobre o valor do veículo com base na Tabela FIPE. No entanto, muitos consumidores ficam preocupados quando pensam em comprar um veículo importado por imaginar que o tributo ficará muito mais alto por causa disso.

Na verdade, não é assim que as coisas funcionam. De acordo com a Lei e a decisão da 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, o governo não pode cobrar uma alíquota diferenciada no IPVA de carros importados. O STJ chegou a essa conclusão com base em um processo movido por um médico que tinha um veículo de outro país.

De acordo com a tese do consumidor, a cobrança de IPVA de carros importados iria contra o artigo 152 da Constituição, que proíbe a diferença tributária entre bens e serviços, de qualquer natureza, em razão de sua procedência ou destino.

Por causa disso, o governo agora está proibido de cobrar valores diferentes no IPVA de carros importados, ficando vulnerável a um processo, caso o faça.

Portanto, você pode tranquilamente comprar um veículo importado sabendo que o IPVA cobrado será o mesmo caso o carro fosse fabricado aqui no Brasil, seja para um Toyota Corolla, seja para uma Ferrari.

Como importar veículo para o Brasil?

Se o fato de não haver diferenciação no IPVA de carros importados deixou você empolgado,  estimulando sua vontade de trazer um automóvel de fora do país, saiba que o processo não é muito simples. Como é previsível, há uma certa burocracia para garantir que tudo correrá bem com os trâmites.

Pra começo de conversa, o interessado em comprar um carro importado de outro país precisará se cadastrar no SISCOMEX, o Sistema Integrado de Comércio Exterior. Trata-se de um sistema da Receita Federal que investiga todas as transações de comércio exterior no Brasil.

Com o cadastro feito, o SISCOMEX avaliará seus dados e Imposto de Renda e dará o aval para que você possa começar a negociar e comprar seu carro. Se for aprovado, você receberá uma senha para entrar no Radar, o Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros, onde poderá consultar quais veículos estão disponíveis para comprar.

Escolhido o automóvel e a loja, você precisará de um documento chamado Pró-forma, emitido pela loja que venderá o carro. De posse do documento, você o usará para emitir outros documentos:

  • uma Licença para Uso da Configuração do Veículo Automotor emitida pelo IBAMA;
  • um Certificado de Adequação à Legislação Nacional de Trânsito, emitido pelo Denatran;
  • uma Licença de Importação emitida pelo SISCOMEX.

Esses documentos servem para o seguinte:

  • a Licença para Uso da Configuração do Veículo Automotor avalia se o carro se adequa aos limites de sons e ruídos no Brasil;
  • o Certificado de Adequação à Legislação Nacional de Trânsito verifica se o carro está em ordem em relação ao Código de Trânsito;
  • e a Licença de Importação verifica se não há nada de errado com o seu negócio.

Com os documentos em mãos, você pode pagar pelo veículo e esperar que ele chegue ao Brasil. O desembarque é feito pela Receita Federal e o interessado deve pagar a carga tributária, que pode chegar a 80% do valor do automóvel em alguns casos. Depois disso, é só retirar o veículo na alfândega e levá-lo para casa.

Quais os cuidados com carros importados?

Como pode ver, os carros importados são obtidos apenas depois de um processo burocrático, contudo, relativamente simples, se comparado a outros procedimentos que são muito mais complexos. No entanto, é necessário cuidar bem do automóvel depois que ele chegar aqui.

O primeiro passo é levá-lo a uma oficina mecânica especializada, capaz de lidar bem com as particularidades do veículo e entender seu funcionamento, mesmo que ele seja adaptado para rodar em outro país.

É importante contar com uma oficina mecânica de qualidade para garantir que o seu automóvel será bem cuidado durante a manutenção, sem sofrer qualquer tipo de problema.

Em segundo lugar, é importante encontrar uma loja confiável para comprar pneus para o seu novo carro importado. Afinal, você não quer rodar com o veículo com pneus em péssimo estado, não é mesmo?

Além do aspecto horrível, os pneus desgastados ainda oferecem riscos sérios para a sua segurança e de outros ao seu redor. Para completar, os pneus são responsáveis por aproximadamente 20% do consumo de combustível. Diante desse fato, é bom ter o jogo certo no seu carro.

Complementando, não esqueça de adotar técnicas de direção defensiva para não gastar demais determinados setores ou sistemas do veículo. É importante dirigir com cuidado para garantir que a suspensão, os pneus e o motor estejam bem conservados, o que manterá o valor elevado do automóvel.

Além disso, o cuidado extra diminuirá a necessidade de trocar peças do carro. Como ele é importado, pode ficar realmente caro importar peças o tempo todo. Por essa razão, é melhor prevenir e cuidar bem do automóvel, fazendo revisões e manutenções periódicas.

E aí, gostou de aprender mais sobre o IPVA de carros importados? Como podemos constatar, fora o sistema de compra um pouco mais complicado, ter um automóvel importado não é tão difícil assim. Basta cuidar bem dele para que dure por muitos anos.

E você, gostou da ideia de ter um carro importado? Se você pudesse comprar qualquer veículo não disponível no Brasil, qual seria? Conte pra gente a seguir!

IPVA para carros importados – Entenda como funciona

Possuir um automóvel atualmente, embora traga bastante conforto, agilidade e segurança, envolve muitos gastos.

Entre eles, podemos citar o IPVA. E este aumenta ainda mais quando envolve carros importados.

É isso mesmo que você leu. O IPVA desses veículos pode ser o dobro ou até mesmo o triplo que o de um carro popular.

Taxas exigidas por lei

Além do IPVA, outra taxa exigida por lei é o DPVAT. Ambas são arrecadadas pelo estado e utilizadas para investir em outras áreas, como saúde educação e transporte.

Vale ressaltar que para quem possui um veículo motorizado e deseja trafegar por vias públicas com ele, o pagamento dessas taxas é obrigatório, sem exceção.

Também é interessante saber que, apesar de apresentarem valores relativamente parecidos, em cada estado o valor cobrado varia entre 2 a 4% do valor total do veículo.

Esse cálculo pode ser feito via tabela FIPE. Ela apresenta o preço médio dos automóveis, a partir do seu ano e do seu modelo.

Os estados também podem dar descontos e facilitar o pagamento desses impostos. Entretanto isso fica a cargo de cada UF.

É comum que muitas delas reduzam o valor para aquele motorista que, durante ano vigente, não cometeu infrações no trânsito, outras parcelam o valor.

Da mesma forma, cada estado estipula as suas datas de pagamento. Assim, efetuá-lo antes da data limite também é uma forma de receber desconto.

E para verificar quais são os prazos, basta acessar o site do Detran e conferir. Também é legal saber que quando o IPVA não é pago isto pode implicar em algumas complicações, como a não permissão do licenciamento anual, por exemplo.

Como funciona o IPVA de carros importados?

O IPVA de carros importados é um assunto que gera bastante polêmica. Isso porque muitas pessoas questionam se é realmente legal cobrar uma porcentagem apenas pelo motivo do veículo e seus acessórios automotivos serem importados.

Entretanto, trata-se de uma técnica ilegal devido a uma explicação bastante simples: Segundo uma decisão tomada pela Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça, não podem ser cobrados percentuais diferentes para carros nacionais e para os fabricados fora do país.

Isso se deve, principalmente a um processo aberto por Juvenal Fernandes, um médico dono de carro importado que questionou a alíquota cobrada para seu tipo de veículo.

Segundo ele, essa lei iria de encontro ao artigo 152 da Constituição Federal, que diz ser proibida a diferença tributária.

Então como é calculado o IPVA de meu veículo?

Como citamos anteriormente, o valor é calculado a partir do preço do veículo. Assim, pode ser cobrada uma taxa entre 2 e 4% do total.

Entretanto, existem outros fatores que devem ser observados. Entre eles, podemos citar:

  1. Se o veículo é usado: o valor venal em um determinado é o preço médio de mercado vigente no mês de setembro do ano imediatamente anterior. Esse valor é coletado pela Secretaria da Fazenda de cada estado e devidamente publicado em tabela no Diário Oficial do Estado;
  2. Para veículo novo: o valor venal é o valor total constante do documento fiscal de aquisição do veículo pelo consumidor;
  3. Para veículo novo arrematado em leilão: o valor venal é o valor da arrematação, acrescido das despesas cobradas ou debitadas do arrematante e dos valores dos tributos incidentes sobre a operação, ainda que não recolhidos;
  4. Para veículo importado diretamente do exterior pelo consumidor ou incorporado ao ativo permanente do importador: o valor venal é o valor constante do documento de importação, acrescido dos valores dos tributos devidos em razão da importação, ainda que não recolhidos pelo importador;
  5. Para veículo incorporado ao ativo permanente do fabricante: o valor venal é o valor médio das operações com veículos do mesmo tipo que tenha comercializado no mês anterior ao da ocorrência do fato gerador;
  6. Para veículo incorporado ao ativo permanente do revendedor: o valor venal é o valor da operação de aquisição do veículo, constante do documento fiscal de aquisição;
  7. Para veículo não fabricado em série ou veículo encarroçado: o valor venal é a soma dos valores atualizados de aquisição de suas partes e peças e outras despesas, também atualizadas, que incorrerem na sua montagem.

Agora você já sabe um pouquinho mais sobre o IPVA e como sua taxa pode ser modificada de acordo com alguns fatores específicos.

IPVA 2019: veja o que mudou dos anos anteriores

O IPVA 2019 sofreu mudanças importantes, segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE). Agora será possível parcelar o imposto com cartão de crédito.

A autorização para parcelamento via cartão de crédito consta na Resolução 736 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e da portaria 149 do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).

Quem deseja receber um desconto de 10% do valor do IPVA, independente da terminação da placa do carro, e não possui débitos do imposto em anos anteriores, deverá efetuar o pagamento integral até 28 de fevereiro de 2019.

Saiba mais sobre as mudanças no IPVA 2019.

O que muda no IPVA 2019?

O Detran informou que o parcelamento de multas e também do IPVA e DPVAT poderão ser pagos por cartão de crédito e em até 12 vezes.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL PARA SEU CARRO

Pelo menos para quem tem carro licenciado no Rio de Janeiro, o Detran permite o parcelamento através do programa Parcele Tudo, criado para parcelar multas, IPVA 2019 e o seguro obrigatório (DPVAT) em até 12 vezes no cartão de crédito.

A regularização dos débitos após o parcelamento se dará após a compensação bancária, que ocorre em até 24 horas (durante a semana) e em até 2 dias (caso o pagamento seja feito no final de semana).

Os postos de atendimento do Detran/RJ para parcelamento do IPVA 2019 com guichê do programa, tanto postos de vistoria ou USVs (Unidade de Serviços de Veículos) são:

  • sede do Detran/RJ (Avenida Presidente Vargas 817, Centro do Rio);
  • posto de vistoria Francisco Bicalho (Rua Idalina Senra 35, em São Cristóvão);
  • USV de Jacarepaguá (Estrada do Gabinal 313, 2º piso, no Rio Shopping, na Freguesia);
  • USV de Guadalupe (Avenida Brasil 22.155, no Shopping Jardim Guadalupe);
  • USV de Campo Grande (Estrada do Mendanha 555, West Shopping, em Campo Grande);
  • USV de Vilar dos Teles (Rua Aldenor Ribeiro de Mattos 175, Shopping Jeans);
  • USV de Barra da Tijuca (Avenida das Américas 500, Shopping Downtown, na Barra). 

É possível saber sobre os débitos pendentes apenas informando seu número do Renavam, placa do carro, RG e CPF.

Importante salientar que, os débitos de Dívida Ativa, parcelamento inscrito em cobrança administrativa e os pagamentos a veículos que possuem licenciamento em outros estados NÃO poderão ser parcelados no cartão de crédito.

Quem está isento no IPVA 2019?

Assim como em outros anos, a isenção para o pagamento do IPVA não muda em 2019.

Os que possuem alguma deficiência, doenças crônicas (como lesões por esforço repetitivo, tendinite crônica, doença de parkinson, etc), e aqueles com carros mais antigos estão isentos do pagamento.

O tempo que determina a isenção de carros antigos varia de Estado para Estado, conforme lista abaixo:

  • produzidos até 1985 – Santa Catarina;
  • 10 anos – Acre, Goiás, Roraima e Rio Grande do Norte;
  • 15 anos – Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Ceará, Sergipe, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Maranhão, Distrito Federal, Paraíba e Tocantins;
  • 20 anos – São Paulo, Alagoas, Rio Grande do Sul e Paraná.

Em Minas Gerais e Pernambuco, de acordo com o ano do veículo, o IPVA terá redução progressiva.

Com a possibilidade de parcelar o IPVA 2019 em até 12 vezes no cartão de crédito fica mais fácil e melhor quitar a dívida e não sofrer as consequências do não pagamento, como multas e perda do veículo.

Ipva atrasado: como pagar o ipva do seu veículo atrasado?

Muitas pessoas já ficaram com o IPVA atrasado por não saberem como pagar a taxa: Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. E as consequências do IPVA atrasado costumam ser algumas, como:

  • O dono do carro não poderá fazer um novo licenciamento para o seu veículo,
  • Sem estar com o carro licenciado, o dono do veículo poderá ter também ser multado, caso seja parado em uma blitz policial e ter o veículo apreendido,
  • Terá de recuperar o carro com o IPVA atrasado pagando o IPVA acrescido de juros e multas e os dias em que o veículo passou no pátio do Detran (Departamento de Trânsito),
  • É possível que o CPF do proprietário do carro seja incluso nos órgãos de proteção ao crédito (Serasa e/ou SPC),
  • Inclusão de pontos na sua CNH (Carteira Nacional de Habilitação), entre outras penalidades aplicadas, que sairão muito mais caras do que pagar o IPVA em dia.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL PARA SEU CARRO

Como pagar, então, IPVA atrasado?

Para não passar transtornos e pagar o IPVA atrasado, veja os passos a seguir:

  1. Acesse a página da internet do Detran do estado em que seu carro está emplacado.
  1. Complete os dados do veículo, como número da placa e do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) e consulte os valores pendentes.
  1. Escolha a opção para pagar o boleto. Imprimia o boleto que já virá com o valor devido e acréscimos de juros e multas.
  1. Pague em qualquer rede bancária, agências dos correios ou pela internet.

Pagar IPVA atrasado tem desconto?

Não. Pagar IPVA atrasado não tem desconto. O que pode ser feito, em alguns estados é parcelar a dívida no cartão de crédito em até 12 vezes, como na cidade de São Paulo.

Como posso evitar atrasar novamente o pagamento do IPVA do meu veículo?

Caso você esteja sem dinheiro para pagar o IPVA em dia, é melhor pagar em 3 vezes (sem desconto), com parcelas com vencimentos em: janeiro, fevereiro e março.  Caso sobre dinheiro, pague tudo (sem desconto) em fevereiro, quitando o parcelamento.

Melhor ainda se você puder pagar com desconto o IPVA em janeiro.

Mas qual é o valor do IPVA?

O valor do IPVA varia de estado para estado do país. No entanto, costuma representar até 4% do valor venal do veículo.

Por exemplo, caso você seja proprietário de um veículo cujo valor de venda é de R$ 20 mil e o carro está emplacado em um estado onde o valor do IPVA é de 4%, o custo do seu IPVA será de R$ 800,00 – caso seja pago à vista. Lembre-se de que você poderá pagar menos que isso, caso escolha pagar à vista no mês de janeiro.

Regularize IPVA atrasado

Agora que você já sabe como pagar o IPVA atrasado do seu veículo, não deixe de regularizar a sua situação. Não pague multas, juros ou tenha o carro apreendido por IPVA atrasado nunca mais.

Entre agora mesmo no site do Detran do estado do seu veículo e resolva essa situação!

Curiosidades sobre valores de IPVA

Você sabe quais os 5 carros do Brasil como IPVA mais barato (se não pagar o IPVA atrasado)? Só aqui você ficará sabendo, vamos lá?

  • Peugeot 206 Sensation 1.4 2006 – R$ 488,
  • Chevrolet Celta Super 1.0 2p 2002 – R$ 444,
  • Fiat Palio Young 1.0 2p 2002 – R$ 388,
  • Ford Fiesta Street 1.0 2p 2002 – R$ 376,
  • Volkswagen Gol Special 1.0 2p 2002 – R$ 376.

IPVA Isenção: Em quais casos é possível conseguir a isenção do IPVA?

Todo os anos é a mesma coisa no mês de janeiro: devemos pagar o IPVA (Propriedade de Veículos Automotores) do veículo, caso contrário, quem não pagou terá de regularizar urgente a situação. No entanto, a dúvida de muitas pessoas é se tem como obter IPVA isenção.

Sim, tem. No entanto, para você conseguir IPVA isenção deverá se enquadrar em alguns dos diversos casos onde é possível não ser cobrado ou ter prejuízos por ter a taxa não paga.

Como conseguir a isenção do IPVA

Você pode conseguir IPVA isenção caso se enquadre nas situações a seguir:

  • Artrodrese,
  • Amputação,
  • Artrogripose,
  • Artrite,
  • Cardiopatias,
  • Câncer de Próstata Pós Cirúrgico,
  • Cirurgia de Punho,
  • Cirurgia de Joelho,
  • Condromalácia Patelar,
  • Cirurgia e/ou Lesão de Ombro,
  • Deficiência Visual,
  • Deficiência Mental,
  • Encurtamento de Membros,
  • Doença de Parkinson,
  • Escoliose Acentuada,
  • Esclerose Múltipla,
  • Estomias,
  • Espondilite Anquilosaste,
  • Insuficiência Renal,
  • Hérnia de Disco,
  • Má Formação,
  • Lesão por Esforço Repetitivo (LER),
  • Nanismo,
  • Mastectomia,
  • Ostomia,
  • Neuropatias Diabéticas,
  • Paralisia Cerebral,
  • Paralisia,
  • Problemas Graves na Coluna,
  • Poliomielite,
  • Prótese Interna ou Externa,
  • Prótese de Fêmur,
  • Quadrantectomia,
  • HIV/AIDS,
  • Quadrantectomia,
  • Síndrome do Túnel do Carpo,
  • Tetraparesia,
  • Tetraplegia,
  • Tendinite Crônica,
  • Bursite Crônica, entre outras.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL PARA SEU CARRO

Outros direitos para IPVA isenção

Caso você se enquadre nas situações informadas no item acima também pode ter o direito de comprar veículos adaptados com desconto e IPVA isenção. Porém, há algumas regras para você conseguir o IPVA isenção, vamos conhecê-las?

  1. É obrigatório ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) especial para os casos já citados. Para isso, você deve procurar uma autoescola que emita esse tipo de documento.
  1. Possuir um laudo médico para poder dirigir. O médico que fornece o atestado faz parte do Detran (Departamento de Trânsito), para evitar fraudes.
  1. O seu veículo (usado ou 0 km) terá IPVA isenção apenas quando ele estiver corretamente no nome seu nome.
  1. Enviar todas as documentações citadas para a Secretaria da Fazenda da região onde você reside. É esse órgão que aprovará ou não se você poderá ter a isenção do IPVA.
  1. Aguardar a resposta sobre a aprovação ou não do IPVA do seu carro.

Outras formas sobre como conseguir IPVA isenção

Além dos casos citados, alguns profissionais também podem conseguir o IPVA isenção. São eles:

  • Taxistas,
  • Mototaxistas,
  • Transporte escolar,
  • Ônibus ou vans fretadas.

Mais formas de conseguir a Isenção de IPVA

Além do que você ficou sabendo até agora, também pode conseguir IPVA isenção em alguns estados do Brasil, como em São Paulo, por exemplo – caso você tenha um carro fabricado há mais de 20 anos.

Esclarecimentos sobre a isenção do IPVA

E mais! A lei que beneficia alguns dos os casos citados nesse texto não contemplam apenas o IPVA.

Desde o ano de 1995, segundo informações apuradas, não há apenas o direito de não pagar o IPVA, mas também de não pagar o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Isso de acordo com a Lei Federal nº 8.989/95 e apenas na compra de carros 0 km.

IPVA Valor: Entenda tudo sobre os valores do IPVA

Dezembro é o mês em que as pessoas começam a se preocupar com o IPVA valor. Isso porque, é normalmente nessa época que os guias e carnês são disponibilizados para os proprietários de veículos.

Apesar de ser um tributo comum para quem possui um automóvel, ainda existem proprietários que sentem dúvidas quanto ao funcionamento do cálculo e como realizar o pagamento do IPVA.

Se você se enquadra nesse perfil, então continue a leitura para esclarecer suas dúvidas quanto aos valores desse imposto e formas de efetuar o pagamento.

Assim, você conseguirá manter esse imposto regularizado e não ter o seu veículo apreendido . Confira:

Como é calculado o IPVA Valor?

O IPVA valor é muito variável e isso acontece por conta dos atributos escolhidos para determinar a taxa. A primeira coisa que precisamos entender é que esse imposto tem como base o valor venal do veículo.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL PARA SEU CARRO

A cada mês depois do seu lançamento os automóveis vão desvalorizando e o seu preço real começa a diminuir. É com base nesse preço atualizado que o IPVA vai ser calculado, o que o torna mais justo para os proprietários.

Esse preço médio dos veículos é modificado constantemente na Tabela FIPE, sendo um dos principais motivos pelo qual o valor do IPVA quase nunca é exatamente igual. Ainda assim, um mesmo veículo pode ter uma taxa diferente, dependendo da região do país.

Cada estado define a alíquota que vai cobrar. Normalmente, para os carros e caminhões o valor pode ser entre 2% a 4%, já para motos ele fica entre 1% a 6%. Essa porcentagem incide diretamente sobre o preço do veículo na tabela.

É importante lembrar que o valor do seguro obrigatório DPVAT também está incluído na cobrança do IPVA. Em 2018, o custo desse seguro para os carros foi de R$41,40, enquanto para as motos foi R$180,65.

Quando é divulgado e como consultar?

O valor do IPVA normalmente é divulgado para a consulta a partir do mês de dezembro do ano anterior, ou seja, atualmente já é possível verificar a taxa para o ano de 2019.

A consulta pode ser feita facilmente pelo site do DETRAN do seu estado. Basta entrar na página e procurar pela aba “Consulta Débito de Veículos”. Clicando nela você será direcionado para preencher um pequeno formulário.

É preciso ter em mãos a placa e o Renavam do veículo. Alguns estados ainda pedem o CPF do proprietário. São dados simples e que podem ser facilmente recolhidos, portanto a consulta é muito rápida.

No mesmo site você poderá imprimir a 2° via da guia de pagamento, caso não tenha recebido pelo correio, e também verificar se possui débitos em aberto.

Onde pagar o IPVA valor?

Se ainda estiver dentro do prazo de pagamento, os proprietários de veículos podem pagar o  IPVA em um dos bancos credenciados ou em qualquer casa lotérica. Passado a data, esse processo fica mais complicado, envolvendo alguns passos cansativos.

O IPVA valor pode ser pago nos seguintes bancos:

  • Bradesco
  • Itaú
  • Caixa Econômica Federal
  • Santander
  • Sicoob/Creditran
  • Banco do Brasil
  • Banrisul

Tendo uma conta em qualquer um destes, você pode fazer o pagamento pelo próprio aplicativo do banco, caso ele tenha, o que significa que não é preciso sair do conforto da sua casa.

É importante lembrar que o prazo do pagamento é anunciado pelo DETRAN de cada estado e tem uma ligação com o último número da placa do veículo, por isso não se esqueça de pesquisar a tabela de datas.

Deixar essa conta de lado não é nada viável, já que seu veículo ficará impossibilitado de circular legalmente e poderá ser apreendido por qualquer fiscal de trânsito ou até cassado pelo próprio DETRAN.

Entender como funciona o IPVA valor que incide sobre os veículos brasileiros é simples. Como vimos no texto, o valor é determinado com uma alíquota incidente sobre o preço do veículo e nesse cálculo são adicionados o DPVAT e a taxa do DETRAN.

Fazer a consulta dessa taxa e efetuar o pagamento é simples quando você se planeja com antecedência. Além disso, ao fazer essa prática é possível obter descontos no valor final do imposto.  Tudo fica mais fácil se você não deixa o pagamento para a última hora.

IPVA Pagar: Entenda tudo sobre o pagamento do IPVA

Sem dúvida, o IPVA Pagar é uma das maiores preocupações dos motoristas em todo país. O principal motivo? O atraso no pagamento desse imposto pode gerar grandes problemas que vão desde a apreensão do veículo, até dificuldades em vender o carro ou moto.

Apesar do IPVA ser um imposto obrigatório, ele ainda causa dúvidas nos proprietários de veículos, sobretudo, no que se refere a como efetuar a quitação desse débito. Essa falta de informação, é uma das principais responsáveis pelo atrasos e irregularidades na documentação do carro ou moto.

Para evitar que isso aconteça com você, continue lendo este post para descobrir mais informações sobre o pagamento do IPVA. Confira:

Como IPVA Pagar?

Com o avanço da tecnologia, IPVA Pagar se tornou uma tarefa muito mais rápida e prática. Afinal, diferente de alguns anos atrás, hoje não é mais preciso se deslocar até o Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) para quitar a taxa, pois o procedimento pode ser feito via online.

Isso mesmo, a consulta do IPVA pode ser feita através do site do DETRAN de cada estado. Nele, é possível acessar uma aba com o nome “Consulta Débito de Veículos”.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL PARA SEU CARRO

Ao clicar nessa opção, o site redireciona o usuário para um formulário que deve ser preenchido com informações sobre o motorista e o seu automóvel. Em relação ao veículo é necessário ter o Renavam e o código da placa. Já sobre o proprietário, o site pedirá o CPF e a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Dependendo do estado, os documentos requisitados podem ser diferentes, mas o procedimento continua sendo simples e rápido de realizar. Ao consultar o débito em aberto, o motorista pode emitir uma guia de pagamento que usará para pagar pelos bancos conveniados ou em alguma casa lotérica.

É importante lembrar das datas de vencimento do boleto. Elas são decididas por meio do último dígito presente na placa do veículo. Todo o ano o DETRAN de cada estado disponibiliza um calendário atualizado.

Qual o valor da taxa?

O governo calcula o valor do imposto sobre cada veículo com base na Tabela FIPE. Cada estado possui sua própria alíquota, mas no geral é cobrado de 2% a 4% para carros e de 1% a 6% para motos.

A taxa ainda pode variar de acordo com a forma que o proprietário paga o imposto. À vista é possível encontrar descontos de 1% a 7%. Já se o pagamento for feito em parcelas é possível que sejam cobrados juros.

Portanto, o valor para pagar IPVA é muito oscilante e basicamente depende da marca, modelo e ano do veículo, bem como da unidade federativa em que ele está circulando e as datas de pagamento.

O que fazer com o IPVA Pagar atrasado?

Com tantos impostos para pagar todos os anos é normal que alguma das taxas caia no esquecimento. Entretanto, esquecer de IPVA Pagar pode resultar em diversas complicações para o proprietário do veículo.

Primeiramente, quem deixa de pagar o imposto recebe multa por dia de atraso mais os juros de mora, baseado na taxa Selic do tesouro direto. Isso significa que atrasar o pagamento só resultará em uma dívida ainda maior.

Em segundo lugar, o automóvel fica proibido de circular legalmente, já que não pagar o IPVA é uma infração de trânsito conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Assim o veículo corre o risco de ser apreendido a qualquer momento. É por isso que a atenção para pagar IPVA deve ser redobrada.

O ideal é que o motorista, organize-se durante o ano anterior para pagar a taxa assim que ela for cobrada. Esse hábito ajudará a economizar muito e evitar problemas com o DETRAN.

Para quem já tem as dívidas em aberto ainda há esperança. É possível pagar o débito à vista ou parcelado, para assim emitir a certidão negativa de dívida e ser poupado de futuras dores de cabeça.

Fazer o pagamento do IPVA não é mais tão difícil como antigamente. Podemos ver que este processo foi muito atualizado, a ponto de poder ser realizado completamente no conforto de sua casa.

Basta ter um pouco de organização que o débito será pago rapidamente e com descontos nos valores totais. Não há motivos para atrasar a dívida, já que isso só trará mais problemas para seu dia a dia.

IPVA Moto: Comprar moto com IPVA atrasado vale a pena?

O IPVA Moto pode ser um divisor de águas em relação à compra de uma moto usada. A documentação atrasada pode gerar muitas dúvidas, principalmente se o débito do imposto estiver em aberto há muito tempo.

Se você está pensando em comprar uma moto com este tipo de problema, continue lendo o nosso post para descobrir se vale mesmo a pena arcar com o prejuízo do antigo dono.

IPVA Moto: vendem moto com IPVA atrasado?

É possível encontrar no mercado alguém que venda um veículo com o IPVA Moto atrasado? Infelizmente, a resposta é sim.

Facilmente encontram-se vendedores que oferecem a moto por um valor abaixo do esperado, pelo fato desta possuir dívidas. A tentação de adquirir o automóvel pode ser enorme, já que o preço a pagar se torna acessível, mas nesse caso é preciso que o consumidor tenha cautela antes de concluir a compra.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL

Antes de fechar o acordo e assinar a papelada o cliente deve averiguar se o veículo apresenta algum tipo de restrição ou bloqueio judiciais. Isso evitará futuras dores de cabeça na hora em que o título de propriedade estiver em seu nome.

A dica aqui é que o cliente, consulte o débito em aberto junto ao vendedor da moto e analise os valores reais que aquela compra vai lhe custar.

Consequências do IPVA atrasado

Ao comprar uma moto com o IPVA atrasado, o cliente deverá pagar todo o débito, à vista ou em parcelas, para poder dirigir pelas ruas regularizado.

Com a dívida em aberto o cliente ainda terá muitos problemas com o Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) da região. Quanto maior o valor cobrado, mais complicado será para resolver as pendências do antigo dono.

Caso o imposto esteja em atraso assim que adquirir a moto, o cliente correrá muitos riscos circulando com ela. Essa situação torna a compra completamente inviável.

Em primeiro lugar, se o motorista não estiver com as obrigações tributárias regularizadas, o agente de trânsito pode apreender tanto a moto quanto o seu documento, até que a dívida seja paga. Essa já é uma grande desvantagem para ele.

Além disso, ele ainda pode receber uma multa e a penalidade de 7 pontos na carteira. Resumindo: o motorista terá que desembolsar uma alta quantia, correndo o risco de pegar a multa mais elevada para a sua habilitação e ainda perder a moto.

IPVA Moto: Posso comprar uma moto com IPVA atrasado?

É preciso ter em mente, que é possível comprar uma moto com IPVA Moto atrasado. No entanto, é recomendado analisar os prós e contras dessa aquisição. Nesse momento, é crucial que o cliente verifique se o proprietário está oferecendo algum desconto no valor da moto.

Caso isso aconteça, o cliente poderá usar o restante do valor para fazer a quitação integral do débito em atraso do IPVA. Contudo, é importante que ele saiba o valor total do imposto e verificar se vale a pena realizar o investimento.

É recomendado, que se o cliente não tiver como arcar com a despesa extra por agora, deixe de lado a compra ou se organize para ter o dinheiro completo. Não adianta nada comprar uma moto que não poderá usar.

O interessante é que o cliente negocie e abata o valor do débito na compra do veículo, além de se certificar que ele tem os documentos do ano anterior para que a transferência de titularidade seja devidamente preenchida.

Esse é outro ponto importante, pois se não for feito dessa maneira, o cliente terá que recorrer ao antigo dono para se posicionar em qualquer problema que acontecer com a moto e, infelizmente, nada garante que ele irá te ajudar.

Como mencionamos anteriormente, o cliente deve avaliar se negociar o valor da moto e pagar a dívida à vista (onde é possível ter descontos) é melhor financeiramente. Cada caso é um caso.

Ao comprar um veículo com o IPVA Moto atrasado você deverá quitar todo o débito, evitando assim gastos e penalidades maiores com apreensão e o reboque. Por isso, como analisamos, só valerá a pena comprar se você puder pagar tudo o mais rápido possível.

Não se engane com o preço ofertado pelo vendedor e procure saber o valor real das dívidas e juros, antes de tomar qualquer decisão.

IPVA Bradesco: Veja passo a passo para pagar o IPVA no Bradesco

Estamos nos aproximando do início de um novo ano, e com ele iniciam também os pagamentos dos impostos anuais, se você é proprietário de um veículo automotor, o IPVA é um deles. Veja nesse post o passo a passo para pagar o IPVA Bradesco!

Conheça o que é o IPVA – Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores?

Primeiramente é importante conhecermos o que é o IPVA – Importo sobre a Propriedade de Veículos Automotores. É um tributo cobrado de donos de veículos automotores que circulam em todo o território nacional.

É um tributo de responsabilidade da SEFAZ – Secretaria Estadual da Fazenda e em alguns estados do DETRAN – Departamento Estadual de Transito.

Todos os anos são milhares de carnês distribuídos para a cobrança do imposto, são muitos carros no circulando nas estradas brasileiras, em consequência muito papel.

Os valores arrecadados com o IPVA, normalmente são divididos e cerca de 50% é repassados aos municípios e o restante fica com a união. Os valores não são aplicados exclusivamente no transito, também serve para outras necessidade de acordo com cada estado.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL

O pagamento o IPVA é anual e obrigatório, e pode ser feito à vista ou parcelado. Quando o contribuinte paga o imposto à vista, ou seja, de uma só vez, lhe concedido descontos, que podem variam conforme a logística de cada Estado.

O que é o IPVA Bradesco? Como funciona?

O Bradesco sempre está atento as necessidades de seus correntistas, buscando continuamente mecanismos para facilitar e melhorar sua rotina, pensando nisso o banco oferece aos seus correntistas o IPVA Bradesco.

Para melhorar a comodidade dos usuários de veículos automotores, os agenciados do Banco Bradesco podem pagar o seu imposto pela internet. O IPVA Bradesco é a união das tarifas do IPVA no seu banco.

Com o IPVA Bradesco, você pode pagar suas taxas sem sair de cada, realizando o pagamento inclusive via smartphone, não é preciso emitir a guia do imposto, o contribuinte pode realizar o pagamento apenas com o número do Renavan do veículo.

Como utilizar o serviço IPVA Bradesco?

É muito simples utilizar os serviços do IPVA Bradesco, veja a seguir os passos para realizar a transação:

  1. Acesse o site do Bradesco
  2. Entre na opção: Portal de pagamentos Bradesco
  3. Selecione a opção: ‘Débitos de veículos’.
  4. Em seguida clique em: ‘Pague agora’;
  5. Informe sua agência e conta
  6. Realize o pagamento.

Viu só como é fácil, com apenas alguns passos você já acessou o serviço do IPVA Bradesco, e o melhor tudo sem burocracia e do lugar que você preferir.

Caso você tenha alguma dúvida durante o processo do pagamento do IPVA Bradesco, você pode entrar em contato com a sua agência pelos canais de atendimento disponíveis que um dos consultores Bradesco lhe dará as informações necessárias.

E tudo com a garantia do bom atendimento que o correntista Bradesco sempre pode contar. Então não se preocupe, quando chegar a hora de pagar o seu imposto, conte com o IPVA Bradesco.

IPVA e licenciamento: Tudo o que você precisa saber sobre IPVA e licenciamento

O IPVA e Licenciamento são taxas importantes na vida de um proprietário de carro. No entanto, apesar de pagar esses valores altos todos os anos, muitos ainda não sabem o real propósito deles.

Diante da importância de se conhecer onde está sendo depositado o seu dinheiro, sobretudo aquele que precisa ser pago anualmente, ao longo deste post iremos explicar tudo que é necessário saber sobre esses dois impostos.

Assim, ao terminar a leitura, você poderá ter consciência não só da importância desses valores, como também do principal motivo de manter esses custos regularizados. Confira:

1. O que é IPVA e licenciamento?

O IPVA e licenciamento são os principais impostos que o proprietário de um automóvel deve arcar. Trata-se de taxas obrigatórias que devem ser pagas para que o dono do veículo circule legalmente pelas ruas e rodovias.

Muitos pagam esses valores sem se preocupar com sua finalidade, outros se esquecem de pagar justamente por não saberem a importância deles. Confira abaixo, mais informações sobre esses impostos:

IPVA

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) foi um imposto criado pelo governo para substituir a antiga Taxa Rodoviária Única (TRU), que era destinada a expansão da malha rodoviária federal, construções e pavimentações.

SAIBA COMO SIMULAR UM SEGURO AUTOMÓVEL

Cada estado ficou responsável pela definição de qual o percentual será pago e pelo recolhimento desse imposto. Além disso, foi aprovado que houvesse a cobrança sobre veículos automotores como:

  • Carros de passeio
  • Caminhões
  • Ônibus
  • Motos
  • Vans

Mas isso não é tudo, depois de sancionada a nova lei, foi decretado que os estados garantissem a possibilidade de dividir o imposto em três parcelas. Sendo que a data do pagamento deveria estar relacionada ao último número da placa do automóvel.

Do valor total recolhido, 50% são destinados para o estado e os outros 50% para o município de origem do automóvel. Sendo que ele pode ser utilizado por essas instituições no âmbito da saúde, educação, segurança pública e em outras necessidades da sociedade.

O atraso do pagamento pode trazer problemas como multas e a apreensão do veículo.

Licenciamento

O Certificado de Registo e Licenciamento do Veículo (CRLV) é um documento necessário para que o automóvel possa circular de forma regular no Brasil. Por meio dele, o proprietário pode garantir que está em total conformidade com as condições de segurança e com as normas de emissão de poluente e ruídos.

Nele, é registrado o RENAVAM (Registro Nacional de Veículos Automotores) bem como especificações sobre o veículo, tais como os dados do IPVA e do DPVAT e outras informações importantes.

O documento é emitido no momento do emplacamento de carros zero quilômetro. Após isso, é necessário fazer o pagamento de uma taxa de renovação todo ano.

Para ter acesso ao licenciamento é necessário ter o CRLV anterior e os comprovantes de pagamento do IPVA e da taxa de renovação. A data do pagamento também é definida pelo último número da placa e é diferente em cada estado.

2. Como é calculado o IPVA?

Para chegar à quantia a ser paga pelo proprietário, o governo utiliza como base o valor venal e de mercado do veículo. Seu principal referencial de pesquisa é a tabela FIPE, criada pela Fundação Instituto de Pesquisas e Economia que indica o preço médio de veículos.

O IPVA é um imposto estadual, por isso o valor cobrado varia ao longo do território brasileiro. No entanto, geralmente é cobrado de 2% a 4% para carros e de 1% a 6% para motos, sendo que essa porcentagem incide sobre os valores da tabela FIPE.

3. IPVA e Licenciamento: Valor do Licenciamento

O IPVA e Licenciamento têm valores diferentes, mas não é só isso, enquanto o primeiro só varia de acordo com cada estado, o segundo tem uma taxa fixa para cada categoria de veículo, mas sofre variações a depender da localização do veículo.

Por isso, é necessário verificar o valor no site do DETRAN ou da Secretaria de Fazenda do seu estado. O preço fixo ainda está sujeito a multas e juros caso haja atraso na renovação.

Como foi visto ao longo deste post, o IPVA e licenciamento são duas taxas necessárias para deixar a documentação do veículo em dia. O pagamento delas evitam diversos problemas com o DETRAN.

A partir do momento da aquisição de um veículo o proprietário dele deve estar ciente dos custos anuais extras que serão cobrados.